Filmes

Whiplash (24 filmes para 2015)

01/03/2015

Pra terminar o mês com chave de ouro, vamos para mais uma resenha do projeto 24 filmes para 2015, a segunda de fevereiro, dessa vez com o tema Drama. Escolhi Whiplash, um filme incrível que tive a oportunidade de assistir durante a maratona do Oscar 2015, e que me cativou de todas as maneiras.

WHIPLASH

ATENÇÃO: Nessa resenha, me senti livre para contar um pouco mais sobre o filme, portanto, você pode encontrar spoilers ao longo do post. Não leia caso queira ser surpreendido pelo desenrolar da história.

Whiplash (nota 8.6 no IMDb) foi dirigido por Damien Chazelle, e toda a história é baseada em sua experiência pessoal (apesar da história ser fictícia), o elenco do flme é composto por Miles Teller e JK Simmons, vencedor do Oscar de melhor ator coadjuvante, possui 1h47 de duração e a classificação indicativa é de 14 anos.

O filme conta a história de Andrew, um baterista perfeccionista que é convidado pelo temido regente Fletcher para tocar em sua banda de jazz. Acontece que Fletcher humilha toda a banda, e chega até a agredir fisicamente alguns integrantes. É possível acompanhar todo o esforço de Andrew para agradar o regente, e quando a gente pensa que ele finalmente conseguiu, as coisas mudam um pouco.

De todos os filmes do Oscar que eu assisti, preciso confessar que esse foi meu favorito, e eu tava torcendo muito pra que ele levasse melhor filme (esperança é a última que morre, né?). Em algumas cenas eu fiquei com o coração na mão, odiei o Fletcher, chamei o Andrew de burro… O filme é extremamente envolvente, e pra quem gosta de música, então, é impossível não se deixar levar pelos sentimentos.

Deixei vocês curiosos? Essa foi a intenção, hahaha. Se você ainda não viu Whiplash, corre pra ver e me diz aqui embaixo o que achou.

 nota
 

Caminhos da Floresta (24 filmes para 2015)

24/02/2015

Oi!

Esse mês de fevereiro foi um mês de MUITOS filmes, e isso dificultou minhas escolhas pro projeto 24 filmes para 2015, do grupo Blogs que Interagem. Mas vamos continuar, e hoje com um tema que eu pensei ser difícil, mas não é não: Bruxas. O calendário de lançamentos desse ano me presenteou com Caminhos da Floresta (Into the Woods), que tem como bruxa a rainha Meryl Streep, indicada ao Oscar por melhor atriz coadjuvante devido a sua performance no filme.

10655297_867762896578646_464300744359388418_o

ATENÇÃO: Nessa resenha, me senti livre para contar um pouco mais sobre o filme, portanto, você pode encontrar spoilers ao longo do post. Não leia caso queira ser surpreendido pelo desenrolar da história.

Caminhos da Floresta foi dirigido por Rob Marshall e conta com Emily Blunt, Anna Kendrick, Chris Pine, Johnny Depp e Meryl Streep no elenco. A classificação indicativa do filme é de 12 anos e ele tem 2h05 de duração.

Eu amo musicais, desses que os personagens praticamente não param de cantar, e esse foi um dos motivos para eu querer assistir Caminhos da Floresta. O prólogo é muito legal, e já situa a gente na história, que une alguns dos mais famosos contos dos irmãos Grimm de um jeito diferente e bem interessante. O padeiro e sua mulher não conseguem ter filhos, porque ele foi amaldiçoado pela bruxa, e ficou infértil. Ela ouve o desejo do casal, e apresenta uma forma de se livrar disso. Eles precisavam trazer uma vaca branca como leite, uma capa vermelha como sangue, um cabelo amarelo como milho e um sapato puro como ouro dentro de três dias.

O casal parte então para a floresta, à procura dos quatro itens, para que a maldição pudesse ser desfeita. Na floresta a gente vê as histórias se entrelaçando, é muito legal. Todo o objetivo do filme se cumpre lá pelas 1h20, e depois disso o filme desanda. Na minha opinião, claro. Mas tava tão legal até ali, que os acontecimentos seguintes foram desnecessários e algumas partes foram completamente sem noção. Deixou o filme meio dividido, sabem? Sem contar que estraga um pouco a magia dos contos de fada.

A primeira parte do filme foi ótima, já a segunda deixou um pouco a desejar. Mas no geral, foi um filme legal de assistir. Meryl Streep arrasou como bruxa, e Johnny Depp, apesar da pequena participação como lobo mau, também roubou a cena.

Recomendo que assista, pelo menos o começo.

estrelas amend 

Oscar 2015 – Minhas apostas

22/02/2015

Hoje é dia de Oscar!

Quem mais aí está empolgado, hein? Quando começa o ano, já fico maluquinha procurando os filmes pra assistir, e esse ano foi a primeira vez que gabaritei a categoria de Melhor filme. Não sou a maior fã de cinema de todos os tempos, pelo contrário, comecei a criar gosto por acompanhar o Oscar há pouco tempo, mas dessa vez os filmes estavam tão bons e empolgantes que acabei assistindo tudo durante o carnaval.

Como já disse, não sou uma profunda conhecedora nem nada, mas senti vontade de reunir aqui as categorias mais relevantes e esperadas, e compartilhar minhas apostas com vocês. Vamos lá?

Melhor música

Pra essa categoria, tenho três queridinhas. Grateful, do filme Beyond the Lights, além de ser uma música gostosa de escutar, tem uma letra muito legal e é interpretada pela Rita Ora, que muitos de vocês devem gostar! Tem também Lost Stars, do filme Begin Again, que é simplesmente LINDA. Fim. Estou completamente viciada nessa música, pessoal, e o Adam Levine ajuda bastante. Mas minha favorita pra ganhar o prêmio é Glory, do filme Selma. Pela história do filme, pela letra da música, por toda luta que o povo negro passou pra conseguir direito a voto, Glory é definitivamente minha favorita.

Melhor roteiro original

Estão concorrendo nessa categoria: O Abutre, Boyhood, Grande Hotel BudapesteFoxcatcher e Birdman, e apesar de não ter assistido O Abutre, creio que Birdman leva essa sem muitas dificuldades. Os concorrentes possuem bons roteiros, mas Alejandro G. Iñárritu (que nome é esse?) deu um passo a frente com o roteiro de Birdman.

Melhor roteiro adaptado

Já essa categoria é um pouquinho mais difícil… Estão concorrendo A Teoria de Tudo, Whiplash, Vício Inerente, Sniper Americano e O Jogo da Imitação. Aqui fico em dúvida entre A Teoria de Tudo e O Jogo da Imitação. São dois filmes com roteiros incríveis e uma Lia muito indecisa! Mas no fim das contas, acho que O Jogo da Imitação tem mais chances de levar a estatueta por Melhor roteiro adaptado.

Melhor curta-metragem de animação

Sei que essa não é uma categoria tão relevante assim, mas preciso dizer que estou torcendo MUITO por O Banquete, um curta da Disney que foi exibido antes de Operação Big Hero. Se você não assistiu, aqui tem um pedacinho dessa fofura de curta, que me deixou completamente apaixonada.

Melhor direção

Brigam por essa categoria os filmes O Jogo da Imitação, Grande Hotel Budapeste, Foxcatcher, Birdman e Boyhood. Devo dizer que no momento que vi a lista de indicados para essa categoria, já tinha uma aposta, que se confirmou depois de assisti-los. Richard Linklater, o paciente diretor de Boyhood, tem grandes chances de levar o prêmio pra casa. Se vocês não sabem, o filme demorou doze longos anos para ser filmado… Se tivesse Oscar de força de vontade, acho que seria dele também.

Melhor fotografia

O primeiro filme que vi dessa categoria foi Invencível, que vocês já conferiram resenha por aqui. Achei a fotografia do filme incrível e tava apostando minhas fichas nele até assistir Grande Hotel Budapeste, que vai além com uma fotografia de cair o queixo. Tô fazendo torcida agora, e se esse Oscar não for pra Robert Yeoman, por Grande Hotel Budapeste eu vou gritar “Meu Oscar, ninguém sai!” Hahaha. Os outros indicados são Birdman, Ida e Mr. Turner.

Melhor animação

Não assisti todos, mas aqui funciona o mesmo esquema de Melhor curta-metragem de animação: vou torcer demaaaaaaais pra Operação Big Hero, porque eu simplesmente AMEI aquele filme. E geralmente eu sou pé-quente na categoria de animação, hehe, espero que dessa vez dê certo!

Melhor atriz coadjuvante

Apesar de nomes como Keira Knightley, Emma Stone e Meryl Streep estarem concorrendo nessa categoria, minha aposta vai pra Patricia Arquette, pela atuação em Boyhood. Não tive a oportunidade de assistir Laura Dern atuando em Livre, mas já tenho quase certeza que é a Patricia que vai levar o prêmio mesmo. Afinal, ela levou todos os outros prêmios que antecedem o Oscar…

212927_Fotor

Melhor ator coadjuvante

Nessa categoria temos Robert Duvall, Ethan Hawke, Edward Norton, Mark Ruffalo e o incrível JK Simmons. Se você viu Whiplash, você sabe do que eu estou falando. Se você não viu, vá ver. JK Simmons merece DEMAIS esse prêmio!

JK Simmons

Melhor atriz

Nunca sei pra quem torcer aqui… Todo ano é a mesma coisa: tenho favorito em todas as categorias relevantes, menos na de melhor atriz. E não é por dúvida, é porque nunca consigo ver os filmes das indicadas. Pra não deixar em branco, vou revelar que estou torcendo para a Reese Witherspoon, pela atuação no filme Livre, que vou tentar ver assim que puder.

Reese

Melhor ator

Já nessa categoria, eu não vou nem me estender muito. Não tem Michael Keaton, Benedict Cumberbatch, Steve Carell e nem Bradley Cooper no mundo que me desfaçam da certeza de que Eddie Redmayne merece e VAI ganhar esse Oscar. Sei que se tratando de Oscar tudo pode acontecer, mas o Stephen Hawking interpretado por Eddie Redmayne ficou incrível.

the-theory-of-everything-eddie-redmayne-2_Fotor

Melhor filme

Chegou a categoria mais esperada, aquela que a gente assiste já com um olho fechado, morrendo de sono, mas que não consegue dormir antes do anúncio… Tô super na dúvida esse ano e minha aposta pra vencer não é o filme que mais gostei. Talvez eu pense em atualizar esse post mil vezes antes da cerimônia, porque acho que seis filmes diferentes (são oito no total) tem potencial de levar o prêmio, mas vou deixar aqui a aposta que caminha de acordo com a lógica da galera da Academia (sou íntima). Acho que o melhor filme do ano será Selma, que conta a história de Martin Luther King e a luta pela igualdade eleitoral. É uma história real, recente e comovente ao extremo. Os outros concorrentes são A Teoria de Tudo, O Jogo da Imitação, Whiplash, Grande Hotel Budapeste, Birdman, Sniper Americano e Boyhood, e de todos os oito, só não ficarei satisfeita caso o prêmio vá para os dois últimos.

Selma

E aí, o que acharam? Concordam comigo? Discordam? Tô muito ansiosa pra descobrir os vencedores mais tarde!

Um beijo!

Invencível (24 filmes para 2015)

27/01/2015

Oi!

Voltamos com mais um post do projeto 24 filmes para 2015, do grupo Blogs que Interagem, e pra hoje eu escolhi o tema Baseado em fatos reais!

invencível poster

ATENÇÃO: Nessa resenha, me senti livre para contar um pouco mais sobre o filme, portanto, você pode encontrar spoilers ao longo do post. Não leia caso queira ser surpreendido pelo desenrolar da história.

Invencível foi dirigido pela linda Angelina Jolie, conta com Jack O’Connell no papel de Louis, Domhnall Gleeson (de About Time! AMO!) e Garrett Hedlund no elenco. A classificação indicativa do filme é de 12 anos, e ele tem 2h17 de duração.

O filme conta a história do atleta olímpico Louis Zamperini, que quando criança era bem rebelde, e não queria ser nada. Com incentivo do irmão, Pete, ele começa a treinar na equipe de atletismo da escola. Louis tinha talento, ele quase voava para a linha de chegada. O reconhecimento começou a chegar, e o menino foi o atleta americano mais jovem nas Olimpíadas de Berlim. Competir com renomados atletas não foi tarefa fácil, e ainda assim, Louis conseguiu conquistar um bronze para o seu país. Seu plano era de treinar muito para que em 1940, nas Olimpíadas de Tóquio, pudesse ser campeão. Não foi bem assim que aconteceu… Os jogos de Tóquio foram cancelados por conta da II Guerra Mundial. Louis se alistou no Exército e serviu nas Forças Aéreas. Durante a guerra, o avião de Louis sofre um acidente, e cai no meio do oceano. Somente ele, Phil (Domhnall Gleeson) e Mac (Finn Wittrock) sobrevivem.

Acompanhamos, com muita aflição, os 47 dias que Zamp passou no mar. A falta de comida, a alegria por conta da chuva, o alívio ao saber que os companheiros ainda estão vivos… Essa parte realmente mexe com as emoções. Depois de todo esse tempo, eles finalmente foram resgatados! Seria a notícia perfeita, se o resgate não tivesse sido feito pelos japoneses. Louis fica em um cubículo escuro de enlouquecer o juízo de qualquer um, até que é levado para um campo de prisioneiros de guerra. Lá, recebeu os maus tratos intermináveis vindos do sargento Watanabe, que teriam um fim caso Louis fizesse uma transmissão ao vivo, emprestando voz à um script que não falava o que ele sentia. Ele preferiu voltar ao campo, e Watanabe fez com que todos os seus companheiros americanos o esmurrassem para que ele aprendesse sobre o respeito. Invencível possui várias cenas dolorosas de assistir, e por conta disso, vibrei de alegria quando a guerra acabou.

Gostei bastante do filme, e recomendo!

nota

Espero que vocês tenham gostado! Vocês podem conferir todos os 24 temas do projeto clicando aqui. Se tiverem alguma sugestão de filme pra resenha, é só deixar nos comentários. E não esquece que eu já fiz resenha do filme com tema Casamento.

Por esse mês, é só. Em fevereiro eu volto com mais filmes pra vocês.

Um beeeijo!

Loucas Pra Casar (24 filmes para 2015)

20/01/2015

Oi!

O grupo Blogs que Interagem criou um projeto super legal chamado 24 filmes para 2015, que consiste em assistir e fazer resenha de dois filmes por mês. Nós do grupo votamos e escolhemos 24 temas, que não precisam ser seguidos em ordem específica. A regra é não repetir filme e postar duas resenhas, todos os meses, até dezembro. Pretendo trazer 24 lançamentos pra vocês, e espero que dê tudo certo! Hahaha

Um dos temas selecionados foi casamento, e no calendário de estreias para esse ano, somente dois filmes obedeciam ao tema. Resolvi resenhar esse, porque o outro me pareceu “besteirol americano” demais.

loucas pra casar poster
ATENÇÃO: Nessa resenha, me senti livre para contar um pouco mais sobre o filme, portanto, você pode encontrar spoilers ao longo do post. Não leia caso queira ser surpreendido pelo desenrolar da história.

Loucas pra casar é um filme nacional, dirigido por Roberto Santucci, que possui Ingrid Guimarães, Tatá Werneck, Suzana Pires e Márcio Garcia no elenco. A classificação indicativa do filme é de 14 anos, e ele tem 1h45 de duração.

O filme conta a história de Malu (Ingrid Guimarães), que há três anos namora o homem perfeito, Samuel (Márcio Garcia), seu chefe. Mas ela já está com 40 anos, e ele ainda não fez o pedido de casamento. Um dia, Malu desconfia que Samuel tem uma amante e procura um detetive, que descobre que ele a trai com Lúcia (Suzana Pires), uma dançarina de boate. Quando Malu e Lúcia se encontram, elas partem para a casa de Samuel para desmascará-lo. Então encontram Maria (Tatá Werneck), uma moça jovem e extremamente religiosa, que também é amante dele. Depois de muito brigar, Malu, Lúcia e Maria entram em um acordo: quem for pedida em casamento, poderá ficar com Samuel, sem que as outras atrapalhem.

Quando Samuel convida Malu para um fim de semana em um resort, ela logo imagina o que poderá acontecer lá: o pedido de casamento! Ao chegar, percebe que Lúcia e Maria também foram convidadas, e as três ficam desesperadas para que ele faça o pedido logo, e ele o faz na beira da piscina, com um vinho escolhido a dedo na adega do resort, ao lindo som de violinos. A sortuda é Malu, que marca um jantar com as duas amantes para mostrar a aliança. E aí vem a surpresa: elas estão noivas de Samuel também! Fica decidido que, ou ele casa com as três, ou com nenhuma.

No dia do casamento, começamos a receber respostas para todas as perguntas que apareceram na nossa cabeça, e o gostinho da surpresa eu deixarei pra quem quiser assistir ao filme.

No geral, eu posso dizer que realmente me surpreendi. Filmes nacionais tendem a ser bem clichês, mas esse tem um fim original e bem bolado.

Recomendo caso você não seja cricri com filmes nacionais!

estrelas pads

Espero que vocês tenham gostado! Vocês podem conferir todos os 24 temas do projeto clicando aqui. Se tiverem alguma sugestão de filme pra resenha, é só deixar nos comentários.

Um beijo!